quinta-feira, 20 de junho de 2013

O Lindo Cardeal


Muitas vezes passamos a nos livrar de papeis, objetos, sobras, tampinhas, rolhas, cartas, figuras, recortes, receitas e tantas outras quinquilharias ao revisarmos ou arrumarmos armários, gavetas ou caixas. Primeiro guardamos com muito carinho e cuidado pensando que talvez um dia pudéssemos dar utilidade. Com o passar do tempo, coloca-se  aquilo como  descarte momentâneo ainda com o pensamento de possibilidade de uso. Recorrendo aos provérbios, lembrei do que dizia  o meu avô: ” guarda o que não presta, tem o que precisa”. . Impressionante...as conversas, os locais, os sorrisos , aromas e outros que guardamos  em flash  na mente...muitas vezes sugerem uma segunda chance para que possamos lembrar, para fazer uma conexão de local/época e então largamos dizendo: será que vale a pena lembrar...ficar remoendo. Então tentamos esvaziar, tirar da mente, jogar fora. Mas, voltando a ordem nas gavetas e armários, jamais jogamos fora uma foto que temos como registro de um momento inevitável. De uma observação única...de um instante exclusivo. E foi assim remexendo em tralhas que encontrei uma fotografia que me encanta por ter sido uma oportunidade impar e por fazer lembrar exatamente  do momento raro em que tirei. Era no entardecer e estávamos descansando, tomando mate ( como bons  gaúchos) , jogando conversa fora – proseando sem nenhum compromisso com uma sobrinha e a comadre que fazia as lidas da casa. Quando menos espero, o marido olha para mim e rapidamente lança o olhar em outro ponto. Não precisava nem falar, bastava mesmo o olhar. Entendi tudo! Em silêncio, levantei da cadeira e fui pegar a câmera para ver se ainda dava tempo de tirar uma foto. Lentamente fui me aproximando e para espanto meu, ele ficou ali...posando para a foto e a turma se divertindo por eu ter tanto cuidado em não espantá-lo. Mas, espera aí...espantar quem? Há, era um cardeal no terreiro. A sobrinha passou então a contar que ele era muito familiar, que aparecia ali todos os dias para se alimentar das sobras do cachorrinho e que por vezes fica observando as pessoas parecendo querer dizer algo.
Ave exótica que tem como principal característica um topete eriçado e vermelho que vai até o peito em ambos os sexos. Esse topete pode variar a coloração devido a mutações, variando em tons alaranjados, cereja e amarelo-ouro.  Os filhotes possuem a cabeça na cor marrom.  As partes superiores são acinzentadas. Os olhos são marrom escuro e as pernas negras.  A região ventral é esbranquiçada. O canto melodioso do macho atrai a atenção e varia de acordo com a região onde é encontrado. Pode variar de duas a cinco notas, sendo o mais melodioso conhecido por “canto de quatro notas”. Ambos os sexos cantam sonora e monotonamente entoando cerca de 12 assobios consecutivos fortes e monossilábicos. É alto e metálico e entoam principalmente na  época da reprodução.
Os cardeais vivem em áreas de campos, perto de arrozais e matas e em áreas urbanas. A presença ocorre, no Brasil, nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul. Hoje a ave está espalhada por vários países.
A maturidade sexual ocorre com aproximadamente com 10 meses. Antes do acasalamento o macho corteja a fêmea dançando com as penas da cauda abertas e algo no bico. Preferem construir o ninho em vegetação densa, entre dois a quatro metros do solo. Em grandes bandos formam territórios na época da reprodução, assim como a maioria dos pássaros canoros.  Põem entre dois a quatro ovos. Tendo 2 a 4 ninhadas por temporada. A incubação leva aproximadamente de 13 a 15 dias. Os ovos apresentam cor azul esverdeado com manchas pretas. O macho e a fêmea ficam no ninho em períodos alternados. Após o nascimento são alimentados pelos pais por mais ou menos 16 a 17 dias. A alimentação é a base de grãos e frutos.
Os cardeais receberam este nome devido à cor das primeiras espécies encontradas, que eram vermelhas (cardeal da Virgínia),a mesma cor das vestes usadas pelos religiosos de mesmo nome. É símbolo do Estado norte-americano de Virgínia e de mais seis Estados, além de ser símbolo de outros países, como México e Guatemala.
Sinonímia: Cardeal-do-Sul, Cardeal-vermelho, Cardeal,do-topete-vermelho, Tiéguaçu-Paroará, Tinguaçu-Paroara e Guira-Tiririca. Em inglês – Red-Crested-Cardinal e em espanhol, Cardenal.

Classificação científica:

Reino:..............Animalia

Filo:.................Chordata
Classe:............Aves
Ordem:............Passeriformes
Subordem:......Passeri
Parvordem: .....Passerida
Família:...........Thraupidae
Gênero:...........Paroaria
Espécie:..........P.coronata
Nome binominal: Paroaria coronata( Miller,1776)
Fontes:
http://www.wikiaves.com/cardeal

7 comentários:

  1. Não parece que esteja negaceando a torcida?

    ResponderExcluir
  2. Realmente muito fotogênico.

    ResponderExcluir
  3. Uma bela foto,muito charmoso.

    ResponderExcluir
  4. Estuvo bien guardar la foto para mostrarla, el pájaro era guapo.

    Saludos.

    ResponderExcluir
  5. Guarde-a com carinho,é uma linda lembrança de uma tardinha com amigos.

    ResponderExcluir
  6. É verdade lembram os bispos.

    ResponderExcluir

mariaterezabedin2016@gmail.com